terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Hei hei, é o fim!


Oh oh cupido, vá longe de mim!

Celly Campelo fez muito sucesso enxotando o cupido nos anos 60. Ainda hoje cantamos e conhecemos bem essa música, e posso dizer que não é só por ela ter um ritmo envolvente.

Entre inúmeros “oh oh cupidos” ela conta que se apaixonou por um belo rapaz, que ele prometeu fazê-la feliz, porém tudo deu errado, no fim ele desdenhou daquele amor e até os beijos ele recusou.

Quantas vezes nós vimos ou vivemos histórias parecidas com essa? Quantas vezes fomos testemunhas ou vítimas das flechadas displicentes desse estúpido cupido? Todos têm algo a dizer sobre um amor não correspondido.

Por isso a música da Celly é tão atual. Nos identificamos com essa raiva contra o cupido ruim de mira. Isso porque a flecha que atinge um só coração deixa nele uma ferida que nunca cicatriza completamente.

Amar e não ser amado é nadar contra a correnteza. É alimentar falsas esperanças diariamente, é tentar esquecer o que não se quer esquecer. É ouvir conselhos e mais conselhos, sem saber como segui-los. É uma eterna luta entre razão e emoção.

Mesmo que venham outros amores, outras histórias, mesmo que o tempo passe, a lembrança daqueles momentos de dúvida, de angustia, de decepção fica marcada na nossa memória, como um espinho no nosso ego.

Talvez com isso cupido só queira nos ensinar que na vida não podemos ter tudo o que desejamos, que nem todos nos amarão como gostaríamos. Talvez ele não seja tão estúpido assim. Se nós só aprendemos a andar depois de muitas quedas, provavelmente também precisamos chorar pra aprender a amar.

Resta apenas conviver com as lembranças doloridas e transformá-las de algum modo em benefício. Ou é isso, ou é passar o resto da vida amaldiçoando o coitado do cupido e mandando ele pra longe.

Eu particularmente, me contento em cantarolar Oh oh cupido pela casa, sorrindo de mim mesma e da minha desavença com esse “anjinho” de arco e flecha. Eu sei que um dia ele vai acertar a mira na minha vida, mas até lá eu espero o que ele pratique muito, e bem longe de mim.

Lívia C.B.

Para 123ª semana, blorkutando.
1º lugar!

4 comentários:

Patrícia N. disse...

Grande Celly Campelo,mandando o cupido e suas confusões para bem longe!Gostei do seu blog,pretendo voltar mais vezes :)

Chica disse...

Que lindo,Livia! um beijo,tudo de bom,chica

Lívia disse...

Oi meninas! Muito obrigada pela visita e pelos comentários! Voltem sempre.
beijos ;*

Ana Lu disse...

Haha, muito bom! Eu também vivo cantarolando essa música. E assim como você, sei que ele um dia vai acertar, mas enquanto ele não estiver afiadinho pra isso, prefiro que saia treinando bem longe, hahaha.
Beijo!